No cenário dinâmico da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (FASEPA), o 2° Encontro de Assistentes Sociais emerge como um marco crucial para a reflexão e aprimoramento das práticas socioeducativas. Realizado nos dias 25 e 26 de junho no Auditório da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), o evento reuniu profissionais dedicados a debater os desafios contemporâneos da assistência social, destacando a importância da ética e do compromisso político na construção de políticas eficazes de proteção integral.

No contexto da Fasepa, a implementação das ações socioeducativas enfrenta uma série de desafios complexos. Nestas circunstâncias, o Assistente Social se vê constantemente confrontado com a necessidade de reavaliar sua abordagem diante das intrínsecas dinâmicas do campo sócio ocupacional.

Na primeira manhã do encontro, o debate foi intensamente focado na atuação dos profissionais e nos desafios para assegurar a promoção dos direitos humanos e a proteção integral. Para a Assistente Social do Ministério Público do Pará (MPP) e da Secretária de Saúde do Pará (Sespa), Dra. Jandira Miranda da Silva, é muito importante atuar na perspectiva de defesa e garantia de direitos humanos, garantindo os direitos dos profissionais e dos socioeducandos, no acesso às políticas públicas, na busca de uma reconstrução de um sujeito que deva ter alguma prioridade absoluta de um atendimento orientado para a perspectiva de cidadania e emancipação humana”, declarou a Assistente Social.

Além da participação destacada da Dra. Jandira Miranda, também palestrou a Assistente Social da Fasepa, Évela Barbosa, profissional especialista em psicopedagogia e Sistema Socioeducativo, encerrando com a participação da mediação para os debates, do Dr. Geraldo Barros, pedagogo da Fasepa, cuja vasta formação inclui mestrado em Educação e doutorado em Serviço Social.

Fomentar o debate dos profissionais de Serviço Social que atuam no atendimento socioeducativo da Fasepa, suscitando reflexões acerca do cotidiano profissional de forma crítica e propositiva, é essencial para o amadurecimento do percurso metodológico para a atuação na política socioeducativa. Segundo a assistente social Évela Barbosa, “esse momento traz uma série de reflexões sobre nossa missão dentro da socioeducação, que nos faz buscar aprimorar nossos fazeres, entender toda história de vida do socioeducando e também nossa responsabilidade, precisamos oferecer o melhor serviço para eles. A socioeducação deve ser um desafio para cada um de nós, assistentes sociais que fazemos parte desse processo”, destacou Barbosa.

A programação se estendeu e a mesa do dia (26), foi composta pela Assistente Social da Fundação Papa João XXIII (Funpapa) e Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma) Dra. Olga Silva, pela Assistente Social da Fasepa, Catarina Jordana, especialista em políticas públicas e socioeducação, além de contar com a mediação da Assistente Social e coordenadora da Coordenadoria de Atendimento Socioeducativo (CASE), Kátia Porfírio.

Segundo Alessandra Oliveira, uma das Assistente Sociais que fez parte da programação, garante que as palestras foram de grande provocação e estímulo para o aperfeiçoamento profissional de todos os presentes, “Nós fomos provocados a refletir sobre nossas ações no dia a dia da prática socioeducativa, porque muitas vezes só reclamamos, mas de fato, o que estamos fazendo, qual tem sido o nosso compromisso. Espero que possamos pelo menos sair daqui, com uma nova proposta de trabalho e colocar em prática aquilo que realmente nos impulsiona neste fazer”, disse a Alessandra.

A última palestra foi sobre os 34 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), e os avanços na garantia de direitos na Política Socioeducativa da Fasepa, que contou com a participação da Advogada e Assessora jurídica da Diretoria de Atendimento Socioeducativo (DAS), Anne Sousa.

O evento culminou com uma homenagem a todos os Assistentes Sociais da Fasepa e com a resolução, leitura e aprovação, de uma carta manifesto da voz de todos os  assistentes sociais que fazem parte da socioeducação do Estado do Pará.

Texto e foto: Dani Valente (Ascom Fasepa)

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade