Este site utiliza código Javascript.
Estou em: » Fasepa e Senar certificam socioeducandos e servidores com cursos profissionalizantes

Fasepa e Senar certificam socioeducandos e servidores com cursos profissionalizantes

Mais 125 adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa e 40 servidores receberam certificados. Em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) realizou, hoje (3), a solenidade de certificação no Espaço Apoena, em Ananindeua, com a presença de servidores, órgãos parceiros e 15 socioeducandos representando o total de concluintes dos cursos profissionalizantes.

 

 

 

Os cursos começaram em fevereiro deste ano. Mesmo com as limitações causadas pela pandemia do coronavírus, foram 125 socioeducandos e 40 servidores capacitados com os respectivos cursos: horta, produção de mudas e sementes, eletricista rural, corte e costura, e jardinagem.

 

  

 

Na solenidade estiveram presentes alguns representantes do Sistema de Garantia de Direitos (SGD): a deputada estadualProfessora Nilse Pinheiro, o defensor público, Luis Lima; o coordenador dos cursos do Senar na Fasepa, Júlio Pires; o diretor geral da Associação Polo Produtivo Fábrica Esperança, Artur Jansen; o diretor de qualificação profissional e empreendedorismo da Secretaria de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) Nazareno Santos; o presidente da Fasepa, Miguel Fortunato; e a diretora de Atendimento Socioeducativo da Fasepa, Vilma Moraes.

 

 
Para a
Professora Nilse Pinheiro é preciso garantir o direitos dos socioeducandos nesse momento que estão privados de liberdade, principalmente por terem sido privados de muitos direitos anteriormente. "E hoje eles estão tendo aqui essa oportunidade, que é uma garantia sim, dos seus direitos, é um compromisso da socioeducação. O nosso compromisso é cada vez mais oportunizar e garantir esses direitos às nossas crianças, jovens e adolescentes", afirma a deputada. 

 

Direito esse aproveitado pela socioeducanda de 17 anos, que há um ano e cinco meses cumpre medida socioeducativa. "O curso foi muito benéfico. Mudei muito porque eu não tinha perspectiva nenhuma de vida e hoje eu já tenho uma mente diferente, de empreendedora, uma mente que pensa em crescimento", declara a adolescente que emocionou o público durante seu discurso como oradora de sua turma.

 

 

Os concluintes fazem parte de um grupo que entra em um novo ciclo de vida, segundo o defensor público. “Com certificado que os habilita para o desempenho de uma atividade profissional, e que significa também o começo de um novo ciclo, certamente um ciclo de desafios, que eles deverão adquirir experiências nessas atividades pelas quais estarão habilitados a exercer”, disse Luis Lima durante a solenidade.

 

 

O presidente da Fasepa, Miguel Fortunato, explica que irá inserir todas as ações voltadas para a profissionalização no Projeto Polo Produtivo da Socioeducação, realizado em parceria com a Fábrica Esperança. "Assim como o Senar e também os outros do Sistema S, vamos procurar convergir as ações para o Polo Produtivo porque o nosso objetivo também é gerar um contexto de possibilidades que vão além da profissionalização, que é o efetivo emprego e a oportunidade de empreender que os socioeducandos precisam experimentar com as suas famílias", esclarece Fortunato sobre a preocupação de garantir uma vaga no mercado de trabalho para os egressos da socioeducação. 

 

 

 

Dentro da socioeducação, as oportunidades podem ser também realizações de sonhos como conta o socioeducando de 17 anos que há um ano cumpre medida socioeducativa. "Os cursos e as oficinas nos dão a oportunidade lá fora de ingressar no mercado de trabalho, de mudar de vida e seguir outro caminho, esse curso é uma coisa que eu sempre quis aprender a mexer com eletricidade", disse o concluinte do curso. 

 

 

 

Experiências comprovadas de perto pelo coordenador dos cursos do Senar na Fasepa. "É pra este mundo que a gente tá posto, pra acreditar no sonho, dar as mãos e fazer acontecer. Nós não vamos parar por aqui, quem quiser parar no tempo, que pare, porque nós vamos avançar e ampliar juntos as ações nas unidades", acredita Júlio.

 

Em breve haverá mais certificações segundo a coordenação do eixo profissionalização da Fasepa que segue na organização da realização dos cursos nas unidades de atendimento socioeducativo nos municípios de Santarém e Marabá.

 

Texto e fotos: Franklin Salvador/ Ascom Fasepa

Produção: Dani Valente

 

 

imagem: 
Imagem ilustrativa da notícia.
Desenvolvimento: PRODEPA Usando CMS livre - Drupal Sítio Acessível