Este site utiliza código Javascript.
Estou em: » Encontro propõe proposta de trabalho no atendimento socioeducativo

Encontro propõe proposta de trabalho no atendimento socioeducativo

Em mais uma agenda positiva, a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) promoveu hoje (15), no auditório da Faculdade Estácio, em Belém, um amplo diálogo com diferentes operadores do sistema socioeducativo para debater de forma colaborativa novos processos de trabalho que irão nortear as ações e procedimentos em diferentes áreas da instituição.

Denominado de ‘Câmaras Técnicas da Socioeducação’, o encontro, que será realizado sistematicamente com os servidores para consolidar a metodologia do Plano Político Institucional (PPI), sempre com enfoque plural e participativo para tratar de diferentes assuntos a partir de eixos estratégicos como reestruturação e modernização administrativa, qualificação e valorização dos servidores, adequação das instalações físicas das unidades socioeducativas, restaurar e fortalecer o atendimento ao adolescente, entre outros.
 
  

Para o coordenador de gestão da Fasepa, Henrique Sauma,“a ideia da ‘Câmara Técnica’ é abrir para a participação dos servidores porque ninguém melhor do que eles para nos ajudar a resolver alguns entraves que são inerentes ao trabalho”, destacou ele. “A nossa intenção não é fazer algo impositivo, muito pelo contrário, a ideia é aproveitar organicamente o conhecimento e a expertise daquilo que eles têm para que nós possamos de forma coletiva desenvolver e fortalecer a socioeducação”.

DESAFIO - Durante o encontro, o presidente da Fasepa, Miguel Fortunato, agradeceu a presença de todos e apresentou de forma didática a metodologia de trabalho ressaltando a importância de cada um dos servidores e a importância de criar demandas que favoreçam as políticas públicas voltadas a adolescentes e jovens autores de ato infracional.
 
   

“Desafio é a palavra que fará com que a gente torne a Fasepa uma referência no trabalho que prestamos”, declarou Fortunato, motivando os participantes. “Para isso, nós precisamos compreender e acompanhar as transformações sociais a partir de uma nova linguagem, as relações de trabalho e entender que os jovens atendidos pela Fasepa há anos atrás, já não são os mesmos de hoje. Então, diariamente somos desafiados a darmos o melhor de si para prestarmos um serviço de qualidade aos jovens atendidos por nós”, finalizou o titular da Fasepa. 


Texto e fotos: Alberto Passos e Dani Valente / Ascom Fasepa

 

imagem: 
Imagem ilustrativa da notícia.
Desenvolvimento: PRODEPA Usando CMS livre - Drupal Sítio Acessível