Este site utiliza código Javascript.
Estou em: » Curso de panificação qualifica jovens para o mercado de trabalho

Curso de panificação qualifica jovens para o mercado de trabalho

“É o meu primeiro contato com o ramo da panificação e eu estou gostando muito porque quando eu saí da medida socioeducativa, eu posso montar meu próprio negócio e trabalhar nessa área para iniciar a minha família e ajudar a minha mãe. Eu quero trabalhar de carteira assinada e ter as minhas garantias de trabalhador. Eu vejo que é possível fazer disso o meu ‘ganha pão’”, declarou um adolescente de 17 anos, durante o curso de panificação que vai até a próxima sexta-feira (01.09), na Unidade de Atendimento Socioeducativo de Ananindeua. O espaço é administrado pela Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) e o curso é desenvolvido pela Sociedade do Meio Ambiente, Educação e Cidadania (Somec).


Pautado pelo viés social sem perder de vista o direcionamento profissional dos socioeducandos, os cursos e oficinas profissionalizantes representam ‘uma porta de entrada’ para que os jovens recebam treinamento e sejam capacitados para ingressar no mercado de trabalho. Além de buscar compreender os desafios e as dinâmicas do mercado visando oportunizá-los para que tenham uma carreira profissional, a Fasepa mantém um diálogo permanente com diversas instituições públicas e empresas da iniciativa privada objetivando que os jovens alcancem o primeiro emprego.

 

          


A instrutora de panificação da Somec, Cristiane Ferreira, diz que os jovens são interessados em aprender e precisam de oportunidades profissionais para diminuir as chances de eles voltarem a praticar um ato infracional. “Sabemos que este curso representa uma oportunidade para muitos em alcançar um objetivo profissional, já que els disseram que ao saírem da medida socioeducativa, pretendem trabalhar no ramo da panificação. Eles são esforçados em aprender e esperamos que possam trabalhar de forma digna dentro daquilo que se propuserem a fazer”, ressaltou Cristiane. Ainda segundo ela, “o seguimento de panificação é diversificado e quanto mais eles estiverem capacitados, logo serão absorvidos pelo mercado de trabalho ou poderão montar seu próprio negócio”.

 

          


Cerca de 40 jovens estão dando seus primeiros passos rumo à profissionalização com a certificação do curso de panificação, e estarão aptos a ingressar neste seguimento. O curso tem duração de 10 dias com carga horária de 40 horas, onde os rapazes receberam material apostilado e as aulas são ministradas de forma teórica e prática. Além da Unidade de Ananindeua, outras quatro unidades socioeducativas de internação da Região Metropolitana de Belém também estão recebendo o curso, são elas: o Centro de Internação Jovem Adulto Masculino (Cijam), Centro Juvenil Masculino (CJM), Centro Socioeducativo Masculino (Cesem) e Centro Socioeducativo de Benevides.

 

PROJETO – O direcionamento, a qualificação profissional e os exitosos resultados obtidos desde 2015, é resultado da diretriz pedagógica das inúmeras ações que integram o Projeto Ressignificando Caminhos na Socioeducação. A Fasepa em parceria com o Sistema de Garantia de Direitos (SGD) atuam na perspectiva de promover e garantir que os socioeducandos tenham acesso aos serviços de saúde, sejam conscientizados sobre seus direitos e deveres, oportunizados com atividades voltadas a educação, profissionalização e empreendedorismo, participem de ações relacionadas a arte, ao esporte, cultura, lazer, entre outros.

 

             


Dados do Relatório de Gestão da Fasepa apontam que de 2015 a 2017, um número superior a 900 servidores e socioeducandos privados de liberdade, em semiliberdade e egressos do sistema socioeducativo, participaram de cursos e oficinas profissionalizantes, inclusive, alguns estão desenvolvendo suas funções laborais em empresas privadas e instituições parceiras do Governo do Estado. Entre os cursos estão panificação, eletricista predial e residencial, pintura predial e residencial, fruticultura, fabricação de embutidos e derivados, manicure e pedicure, fabricação de material de higiene e limpeza, chapista de lanchonete, entre outros.


A coordenadora da Coordenação de Atendimento Socioeducativo (CASE), Francirlei Pessoa, diz que a Fasepa vem conseguindo cada vez mais espaço a partir da sensibilização dos parceiros através da qualificação do atendimento socioeducativo. “A gente percebeu a necessidade de ampliar ainda mais o quantitativo de vagas, bem como implementar ações com cursos e oficinas para atender a demanda dos socioeducandos. Nesse sentido, nós agregamos os órgãos das instituições governamentais e todos os demais que compõem as políticas setoriais por meio da Secretaria de Administração (SEAD). Então o nosso foco principal é fazer com que a jornada pedagógica desses adolescentes seja no sentido de formação e qualificação profissional”, destacou Fracirlei.

 

             


Ela sinalizou com a possibilidade de que ainda este ano, a Fasepa em parceria com a Secretaria de Assistência, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), promoverão ações direcionadas aos socioeducandos inserindo em cursos com temas transversais como marketing pessoal, relacionamento interpessoal, noções de informática, empreendedorismo e economia solidária.

 

Texto e fotos: Alberto Passos/ Ascom Fasepa
 

imagem: 
Imagem ilustrativa da notícia.
Desenvolvimento: PRODEPA Usando CMS livre - Drupal Sítio Acessível