Este site utiliza código Javascript.
Estou em: » Fasepa comemora os bons resultados do 3º Recreio de Verão Socioeducativo

Fasepa comemora os bons resultados do 3º Recreio de Verão Socioeducativo

 
Após 30 dias de diversas ações pedagógicas, modalidades esportivas, recreativas e circuito cultural com visita aos principais pontos turísticos de Belém, chega ao fim o 3º Recreio de Verão Socioeducativo. A fim de fazer com que um maior número de adolescentes e jovens privados de liberdade compreendessem a proposta, a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) elaborou algumas estratégias educativas inclusivas na perspectiva de fazer com que os jovens descobrissem e compartilhassem novas práticas e vivências em cada atividade.
 
Dos 430 jovens custodiados na Fasepa, cerca de 390 participaram das ações do Recreio de Verão Socioeducativo, o que representa 90% desse total, incluindo aqueles que cumprem medidas socioeducativas de internação provisória e semiliberdade, o que demostra o alcance e a boa aceitação por parte dos jovens e dos servidores envolvidos nas atividades. Segundo os organizadores, os bons resultados não podem ser dimensionados apenas em números, e sim, levando em consideração aspectos como a promoção da interação social e comunitária, o desenvolvimento físico e mental, além de potencializar o lado criativo e a autonomia dos jovens na perspectiva de refazerem seus projetos de vida.
 
           
 
                                       
O presidente da Fasepa, Simão Bastos, diz que estas ações são estratégicas e fazem parte de um calendário sistemático de atividades. Para ele, o maior desafio é envolver todos e construir um diferencial no atendimento socioeducativo. “Os adolescentes precisam está cientes e querer participar das programações planejadas, o envolvimento das equipes das unidades como monitoria, equipe técnica, gestores das unidades socioeducativas, diretorias e sistema de justiça é fundamental para o sucesso das ações. Tudo devidamente organizado com muita responsabilidade, planejamento e estruturado nos preceitos do Sinase (Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo)”, observou.
 
                                               
                  À esquerda, o presidente da Fasepa, Simão Basros, diz que as ações terão continuidade 
 
Ele destacou ainda que “nós já temos um calendário estabelecido para darmos continuidade a todas essas agendas positivas no segundo semestre com mais oficinas, cursos profissionalizantes, atividades culturais e empreendedorismo, capacitações, encontros temáticos e seminários para toda a comunidade socioeducativa”, comentou Simão, em tom de otimismo o direcionamento da Fasepa para o segundo semestre.
 
Tendo em vista que a programação do Recreio de Verão tem uma duração de 30 dias por conta do recesso escolar dos professores da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) que atuam nas unidades socioeducativas, a gestão em conjunto com a equipe multidisciplinar da Fasepa elaborou uma proposta diferenciada, descontraída e ao mesmo tempo pedagógica dentro de cada programação para despertar o interesse dos jovens como fica claro a partir do depoimento da jovem Raquel (nome fictício*) de 16 anos, que participou de inúmeras atividades do Recreio de Verão.
 
           
 
“Eu fiquei muito feliz em ter participado e aprendido várias coisas que me fizeram enxergar muita coisa sobre mim e o que eu quero para minha vida. Como eu não sou daqui [Belém] tive a oportunidade de passear e conhecer vários lugares interessantes como teatro, museu, brincar e me divertir bastante que eu até esquecia que estava na medida socioeducativa. A minha família fica feliz em saber que eu estou bem e que estou mudando para melhor as minhas atitudes”, comentou sorridente e esperançosa a jovem que é do município de Tucuruí.
 
          
 
PROJETO - A iniciativa faz parte de um conjunto de ações do Projeto Ressignificando Caminhos na Socioeducação, que é desenvolvido pela Fasepa na perspectiva de oportunizar os jovens para que ao saírem da medida socioeducativa tenham possibilidades de trilhar um caminho mais responsável e promissor. Atividades educativas, qualificação profissional através de cursos voltado ao mercado de trabalho e ao empreendedorismo, esporte, cultura e lazer, ações socioambientais, programações artísticas e culturais por meio das oficinas teatrais, de dança, iniciação musical ao violão, percussão e flauta, são algumas das ações realizadas diariamente pelos jovens nos espaços socioeducativos.
 
Dentre os vários destaques positivos desta edição do Recreio de Verão Socioeducativo, foi a participação dos jovens em todo o processo produtivo das 13 mesas de ping-pong que beneficiaram os adolescentes que cumprem medidas socioeducativas nas 14 unidades socioeducativas da Região Metropolitana de Belém administradas pela Fasepa. As atividades foram orientadas pelos profissionais que integram a ação socioambiental Terra Viva que, em meio a ferramentas e utensílios perfurocortantes, puderam ensinar os jovens a desenvolver autoconfiança e o protagonismo, o que garantiu momentos de descontração e alegria durante as partidas.
 
             
 
“O objetivo da prática em relação ao Recreio de Verão com essas ferramentas utilizadas pelos socioeducandos como furadeira, alicate e serra mármore, por exemplo, é que o uso delas na condução do trabalho, vai fazer com que eles reflitam sobre as possibilidades de mudança, o aprendizado que aquela atividade pode trazer para a vida deles, tanto individualmente como em grupo. Nós trabalhamos questões como confiança, respeito, disciplina, foco dentro daquilo que queremos alcançar. Nós avaliamos como positivo o empenho deles na fabricação das mesas de ping-pong, pelo fato de se sentirem capazes de planejar e realizar qualquer coisa que quiserem”, ressaltou o coordenador do Terra Viva, Antônio Silva.
 
 
 
               
                Ao fundo de camisa verde, Antonio Silva, diz que trabalho ajuda na mudança dos jovens
 
PARCERIA – O titular do Juizado da Infância e Juventude da 4º Vara Civil e Empresarial de Marabá, juiz Manoel Antônio Macêdo, disse que “asminhas impressões foram ótimas, a melhores possíveis. Percebi que os adolescentes estavam bem conectados, bem integrados às ações que foram promovidas pela equipe Fasepa. Percebi ainda que foram alcançados exitosos resultados no sentido de que as atividades são necessárias e indispensáveis para trabalhar a autoestima, a valorização, a dignidade, o reconhecimento daqueles adolescentes que estão inseridos no sistema socioeducativo como pessoas humanas dignas, e que merecem a valorização do Estado”, declarou Macêdo.
 
Com uma participação efetiva de 100% dos adolescentes que estiveram envolvidos nas mais de 14 ações artísticas, culturais e esportivas, a gestora do Centro de Internação do Adolescente Masculino (Ciam Marabá), Lucileia Cavalcante, ressaltou que “com o Recreio de Verão, percebemos que nossos limites de atuação são maiores e, com isso, conseguimos construir coletivamente momentos bons de socialização”, ponderou. Ainda segundo ela, “houve a participação das famílias e parceiros  nas atividades e é notório que a promoção de tais atividades proporciona ao socioeducando  reflexão sobre a medida percepção e dos seus limites e possibilidades na construção de novas escolhas em sua vida, pautado em confiança mutua e responsabilidade. Esses momentos oportunizam a descoberta habilidades entre os jovens e a valorização deles com suas potencialidades”, finalizou.
 
         

          Socioeducandos, familiares e parceiros, Ciam Marabá reúne 100% dos participantes nas ações   

 

Texto e fotos: Alberto Passos/ Ascom Fasepa

imagem: 
Imagem ilustrativa da notícia.
Desenvolvimento: PRODEPA Usando CMS livre - Drupal Sítio Acessível